Igreja Paroquial de São Silvestre

NOTA ARTÍSTICA

O edifício de planta longitudinalmente composto por nave única e capela-mor.  No eixo da fachada, abre-se um portal com frontão interrompido, onde se pode observar a representação da cruz da Ordem de Cristo. A ladear o portal encontramos fenestrações com molduras interrompidas e no eixo da fachada encontramos um nicho com uma escultura de São Silvestre. A torre sineira encontra-se adossada à fachada.

O seu interior, de nave única e capelas laterais acolhe um conjunto retabulístico de gosto rococó

Destaca-se ainda, um conjunto de imaginaria setecentista, como a é o caso da imagem de Santo António.

Séc. XVII/ XVIII / XIX

Autor: Tiago Fernandes da Fonte – pedreiro, 1760; Manuel Simão – entalhador, 1767.

NOTA HISTÓRICA

Na carta de doação que D. Afonso II faz doação dos  “Esqualos” à Ordem do Templo e, mais tarde, em 1264, os “scalos de iusafanos” é referido a propósito do escambo da Lardosa entre a D. Joana e os a milícia do templo.

Com a instituição da Ordem de Cristo, os Escalos de Baixo, conjuntamente com os Escalos de Cima, Caféde e Aldeia da Mata, formam uma comenda e no dito Tombo, de 1505, refere-se o seguinte (…) Tem ha hordem huua aldea que se chama hos escallos de baixo e estaa no termo da dicta Villa de castel branco foreira aa hordem. cujo lemite parte nesta maneira (…) junto da egreia de sam siluestre da dicta aldea tem ha hordem hùu chãao que parte ao abrego com ho adro e ao leuante com chãao de vaasco lopez e ao ponente com camjnho do conçelho que uay pera ha egreia e ao aguiam com ho Ribeiro leua de longo dez braças e meya de craueira e de largo leua dez. he çarrado de uallado e tem dentro duas moreiras. e ho traz aluaro pirez hi morador sem titollo de que paga de foro com a casa em que viue dous alqueires de trigo e duas galinhas per natal. e este foro entra no conto dos foreiros da dicta aldeã (…).

Em 1522 surge referência à Igreja de São Silvestre, como sendo igreja matriz, tendo vigário apresentado pela Mesa da Consciência e Ordens, tendo um rendimento quarenta mil reais.

A atual igreja tem a sua construção entre os finais século XVII e o início da centúria seguinte. As memórias paroquiais   descrevem a igrejas nos seguintes  moldes

(…) Está a igreja paroquial fora do lugar, em pouca distancia. He São Silvestreo orago desta freguesia. Tem a sua igreja cinco altares, o da capela mor, em que está colocado o Sacrário, em que se conserva o Santíssimo Sacramento, dois colaterais, um da Senhora do Rosário, e outro do Divino Espírito Santo, e dois mais no corpo da igreja, um da invocação das Almas e outro do Santo Nome de Deus. Há nesta igreja a Irmandade dos Irmãos do Sacramento, e vestigios de outras duas, que no tempo da guerra, pela invasão dos inimigos, entraqueceram, por se desencaminharem os títulos de suas criações e alguns ornatos delas, e vinham a ser a Irmandade das Almas e a de Santo António.

E o pároco desta freguesia vigário professo na Ordem de Cristo, e apresentado pelo Tribunal da Mesa das Ordens, e tem de porção quatro mil reis, que lhe paga a comenda e uma incerta porção de trigo e centeio, que Ihe pagam os fregueses segundo o número deles, que é casal um alqueire meado (…)

Em 1760, é efetuada uma escritura de arrematação da obra de pedraria que se deveria proceder na capela-mor. Para tal é estabelicido acordo entre Tiago Fernandes da Fonte, mestre pedreiro natural da Galiza, para o efeito, o acordo é de 177 mil reis. Poucos anos depois, em 1767, Manuel Simão, oficial entalhador, natural de São Miguel de Acha, realiza um contrato de de obrigação para a execução da tribuna dos Escalos de Baixo do retábulo da capela-mor (também no mesmo documento é referida a obra de Malpita do Tejo), a obra, segundo o entalhador, deve seguir o risco realizado por António José Longo de Castelo Branco (este ultimo tinha arrematou a obra um pouco antes de morrer), pela obra  recebe pelas obras 230 mil reis.

Referências Bibliográficas:

HORMIGO, José Joaquim Mendes, Arte e Artistas na Beira Baixa, s.l., Janeiro 1998

http://www.monumentos.gov.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=12802

Referências Documentais: