Igreja de S. Pedro

NOTA ARTISTICA

No século XVI, em 1505, a igreja de Casegas encontrava-se anexa à Comenda do Castelejo, tendo como comendador, frei Henrique Ferreira. Conforme relata o Tombo da Ordem de Cristo de 1505, os moradores de Casegas e respetiva freguesia, assim como todos aqueles que trabalhassem dentro dos seus limites, tinham de pagar o dízimo à Ordem de Cristo e respetiva Comenda.

Em 1564, voltamos a ter notícias de Casegas. No tombo da relação do Bispado da Guarda, é referido que a igreja de Casegas continua anexa à Comenda de Castelejo, que tinha como comendador Manuel Silva, veja seguidamente:

Igreia de Samta maria do lugar do castelejo e suas anexas sãta maria de casegas E santa ana De Siluares he comenda da ordem de xpo he dela comendador manuel da silua leua o dito comendador dous terços dos dizimos E o cabido leua hu terço Do qual terço leua o arcediago a Redizima de dez hu

Emdem ao dito comendador os dous terços dos dizimos cõ as promicias propios gado, lam linho vinho E outras meuças em cada hu anño tiradas as despesas ordinarias necessarias cõforme ao Regimento, cento sasenta e tres mil e duzentos e dez rs

A primitiva igreja foi demolida em 1932 por se encontrar em ruínas, acabando mesmo por ser derrubado, iniciando-se pouco tempo de pois a construção de um novo templo afastado do espaço da primitiva igreja. Em 1949, o novo templo é inaugurado. Apesar da sua modernidade, no interior da atual igreja conserva-se um interessante acervo artísticos que se pode datar entre o século XVI e XVIII. Deste património móvel, destacam-se sobretudo as esculturas em pedra quinhentistas dedicadas à Santíssima Trindade e a Santo António.

Séc. XV/XVI

Autor: n/s

NOTA HISTÓRICA

Da primitiva construção nada resta. O edifício primitivo, possivelmente uma construção dos finais do século XV, estava localizado no Largo do Adro, mesmo em frente da Capela da Irmandade das Almas. A partir das Memórias Paroquiais de 1758, sabemos que o edifício era composto por uma nave e capela-mor. Detinha três altares, dois laterais e o altar da capela-mor, era dedicado a São Pedro (altar que foi vendido para a igreja da Coutada pelo valor de sete mil escudos). A par destas informações extraídas das Memorias Paroquiais, podemos ainda acrescentar, a partir do testemunho realizado por Leal do Zêzere, que a igreja detinha um campanário e que o teto da nave detinha pintura de demónios que semelhavam macacos, pássaros, flore sem profusão (…).

Referências Bibliográficas:

FERNANDES, Adelino Pais, Concelho da Covilhã e Memórias Paroquiais, Covilhã, Outubro 2000.

http://www.monumentos.gov.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=17700

Referências Documentais:

ANTT, OC/CT, liv. 304, fls.33 – 58v

BN, COD. 413 – Titulo das comendas dos Mestrados das ordens de Christo e d ́auis que ha neste b[is]pado da guarda com aualiaçam das Remdas de cada hu[m]a delas dos Annos de 1563 e de 1564.