Igreja de Nossa Senhora dos Altos Céus

NOTA ARTISTICA

Nos finais do século XV, Lousa separa-se de Escalos de Cima e a igreja localizava-se fora da  povoação.

O atual edifício, resultado de campanha de obras setecentista,  a igreja de espaço interior unificado, com nave e capela-mor, à qual se adossam volumes correspondentes aos espaço de dependências várias.

A fachada principal é de pano único, delimitada por pilastras rematadas por pináculos e ladeada por torre sineira de planta quadrangular e remate em coruchéu, com a data de 1845. No século XVI o edifício dispunha de campanário e  as fachadas principal e sul, de alpendre.

No eixo central da atual fachada, abre-se o portal principal encimado por janela, unificados por composição decorativa partilhados entre os dois elementos; a composição integra a inscrição «Haec  est domus dei et porta celi» (Esta é a  casa de Deus e a porta  do céu).  A janela é ladeada por dois nichos de perfil  semi-circular.

O interior da nave apresenta quatro retábulos, de finais do século XVIII ou princípios dos XIX; dois inseridos em capelas inscritas  e os outros dois ladeando o arco triunfal. Existe ainda uma capela baptismal, junto à entrada, definida por arco a pleno centro assente sobre pilastras e com a cruz da Ordem de Cristo na pedra de fecho. Esta capela foi outrora revestida por pintura mural, registada nas Visitações quinhentistas realizadas ao edifício.

A capela-mor evidencia retábulo, da mesma campanha artística dos colaterais que ladeiam o arco triunfal, e com Nossa Senhora entronizadas; a cobertura é em abóbada de berço decorada com pintura novecentista, representando a Adoração ao Santíssimo Sacramento e os quatro Evangelistas.

Destaque ainda para o grupo de esculturas de vulto existentes no edifício. Designadamente Nossa Senhora da Conceição em pedra, Nossa Senhora das Graças, Santa Bárbara, Santíssima Trindade e São Francisco.

Data: XV/XVIII/XIX

Autor: Francisco da Silva (pintor e dourador ) – 1781

NOTA HISTÓRICA

A igreja paroquial de Lousa encontra-se referenciada no séc. XV. Contudo desta construção do final do período medieval nada resta. Sabemos que nos finais do século XV, a igreja deixou de ser anexa à Comenda dos Escalos de Cima.

O facto anterior expressa-se em 1536 pela mão de Frei António de Lisboa, nos autos da Visitação da Ordem de Cristo. Desse auto, é referido que a comenda Remde ao comendador Francisco Barreto huus annos por outros cem mjil reais.

Em 1563-1564, o tombo menciona que igreja da Lousa é comenda da Ordem de Cristo e não tem igrejas em anexo. Tem como comendador D. Francisco Barreto, este leva 3/4 dos dizimos.

Igreia de santa maria do lugar da Lousa he comenda da ordem de xpo, he della comendador Fr.cº barreto, leua o dito Comemdador tres quartos dos dizimos E o bpo leua huu quarto.

endem ao dito comendador os tres quartos dos dizimos com as promiçias propios, guados, lam, linho, vinho E outros meunças tiradas despesas ordinarias, necessarias comforme ao regimentto   cento satêta e noue mill quinhentos satenta E cinq.º rs

As memórias paroquiais, referem, que o edifico, dedicado à Nossa Senhora dos Altos Céus está termo de Castelo Branco, estando a sua construção afastada do centro da localidade.

As Memórias Paroquiais, de 1758, executado pelo cura António Fernandes Mimoso, refere que o edifício tem quatro Altares, o do Sacramento de Nossa Senhora do Rozario, o do Santo em nome de Deus, o das Almas, não tem altar mor por estar imcapaz de servir a capella mor. Não tem nave, tem sin digo tem duas Irmandades hum do Sacramento e outra das almas. 

É interessante perceber que o retábulo da capela-mor não cumpria a sua função, por certo estava em mau estado, necessitando mesmo de ser renovado. Possivelmente, essa situação vai ser colmatada pela intervenção, em 1781, do mestre Francisco da Silva.     

Este, mestre vai ser o responsável pela pintura e o douramento (pintadas de azul e dourado) do retábulo-mor, sobretudo a tribuna. Sendo a obra paga pelo comendador, que era o Monteiro Mor, no valor de 2000 reis. Os apontamentos referem que o mestre tem de começar a aparelhar a estrutura ferro que deve a folha (de ferro) bem fixa, dar uma mão a rolo e colocar ouro em locais em falta, como em todos os cordões das molduras principais e filetes(….) colunas pintadas da cor azul (lapes lazulé).  

 

ANTT – Ordem de Cristo e Convento de Tomar, liv. 268.

Item no logar da Lousa termo da dicta villa de Castello Branco fora do logar huu tiro de pedra estaa huua egreja cuja jmvocaçam he de Nosa Senhora dos Altos Ceeos de que he comendador Francisco Barreto filho de Nuno Barrato do Algarve. O corpo desta egreja he de comprido onze varas e meya e de lago cimquo e meya estaa bem madeirada de castanho e ladrilhado a tem duas portas travessasa a emtrada da porta a maão esquerda term huma bõa pia de bautizar fechada e com tres degraos em Redomda e outra pia tambem de pedra d’agoa benta a porta dereita travessa. ltem o cruzeiro a saber- o arco delle he de pedrae bem lavrado e de bom tamanho e a fromtaria delle toda pimtada de jmagees e pimturas e em cima huu crucifixo com a jmagem de Nossa Senhora e de Sam Joham tudo muíto velho e de pimturas antiguas tem neste cruzeiro hukas boas grades de castanho baixas pimtadas e com chapas de ferro peer ima e fechadas com chave a maão Item os altares de fora a saber -o da mãao dereita esta ao longo da parede do corpo da egreja por ocupar menos e he da jnvocaçam de Samto Antonio e de Sam Bras e tern hi suas imayees de vulto muito boas e o da mãao esquerda estaa na parede do cruseiro e he de Nossa Senhoru e tem hi sua jmagem de vulto arrezoada e outras duas sanctas inhotas por sua velhiçe e antigujadade e estes dous altares san boons e estam bem concertados pimtados a com seus ceos de cortinas de linho brancas franjadas. E tem ha capella desta egreja he de comprido quatro varas e duas terças e de larguo tres varas e duas terças estaa bem forrada de castanho e ledrilhada ho altar tem degraos de pedraria de parede a parede he de comprido duas varas e huua sesma e de alto hua vara e de largo duas terças. E tem no Altar hua jmagem de Nossa Semhora de vulto. E tem per cima sua cortina bramca franjada e a capela he toda pintada/

ltem tem A a mão equerda metido na parede huumuito bom sacrario sagundo a caljdade da terra em que estaa o Sacramento e tem dous pilares pintados e tocados d’ouro com huus anjos pintados na parede e todo cuberto com huua cortina e tem hi sua alampada aceza continuadamente aa custa do Concelho.

Item he çercada esta egreja dalpendere a saber- a parede da porta primcipall e a da porta travesa contra o sol e he de larguo a logares duas varas e meja e a logares mais estreio a os esteyos sam de pedra mall feitos.

item affastado da dita egreja sobre huu penedo moçiço tem huu muito bom campanario de canto lavrado com huua escada de pedra e nele estam os melhores dous synos que ha por aquela terra de grandes e boons.

Prata e ornamentos e o que ha nesta egreja

Item huua custodia de prata qua custou sete mjll reis do Concelho/

Item huua cruz de prata que pesou quatro marcos e he do concelho tem huü muito bom calez dourado quasi novo que se deu de esmolla tem outro de prata branco que deu o comendador Item duas gelhetas destanho

Item huü tribolo de metall tem huua bacia de offerta

item hua caldeira dagoa benta

Item hua boa alampada de metall

Item dous missaes e huu manuall

Item tres corporaes com sua caixa

Item outra caixa dosteas

Item tres castiçaes darame boons

Item tres pedras daraa – a saber duas sagradas e huua por sagrar

Item huus capa de damasco azul escuro com savastro de cores de seda da India framjada de Retros preto e encarnado forrada de bocasym alionado.

Item huüa vestimenta de chamalote preto com savastro de damasco amarello framjada de preto e bramco forada de bocasim a he nova e muito bõa.

Item outra vestimenta de cetim cremjsym com savastro quartapesado de cetim branco e veludo preto framjada de Retros bramco vermelho e azull forrada de bocasym azull quasy nova e muito bõoas

Item outra vestimenta de cetim verde com savastro quartapesado de cetim bramco e veludo azull framjada de bramco e encarnado forreda de bocasym azull. Estas tres vestimentas deu o comendador e sam todas tres perfeitas e muito bõoas. Tem outra vestimenta cramisim velha de seda que serve e he muito husada.

Item tres vestimentas de linho brancas Item hum fromtall de cetim crajsim com seus panos quertapesados de cetim bramco e veludo preto per borda a pello meyo muyto boom novo que deu o comendador

Item huu muito boom paleo de seda da India com suas bandas de seda de cores e com suas framjas

Item he capelão desta egreja Antam Gonçalvez cleriguo rmorador no dicto logar e nom he comfirmado / he obrlgado dizer missa cada dia tiramdo huu dia de semana que tem folga

Item tem de mantimentos cada anno a custa do comendador corenta alqueires de pão meyado e dez almudes de vinho a a bica trezentos rais em dinheiro o comendador he paga muito bem e alem desto tem o pee do altar que Remdera mil quinhentos rs e tambem tem a custa dos fregueses de cada casa huu alqueire de pão meyado.

Tem oitenta fregueses e mais e averaa por todo quatrocentas almas de cura Remde esta comenda ao comendador huus annos por outros cem mjil reais e mais

O de que esta egreja tem necesydade he a saber

de huum bom Retavolo conforme a egreja

Item de oito alqueires d’azeite para s lampada do Sacramento

Item ao menos de huua arroba de çera pera tochas e candeas

Item de huus boos corporaes

Referências Bibliográficas:

HORMIGO, José Joaquim M.,Visitações da Ordem de Cristo em 1505 e 1537. Amadora: 1981.

HORMIGO, José Joaquim Mendes, Arte e Artistas na Beira Baixa. s.l., janeiro 1998.

MATOS, João dos Reis de, Apontamentos para a História de Escalos de Cima. Coimbra, Castelo Branco: Alma Azul, 2005; SILVA, Isabel (coord.) – Dicionário Enciclopédico de Freguesias. Matosinhos: 1997.

http://www.monumentos.gov.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=12833

Referências Documentais:

ANTT – Ordem de Cristo e Convento de Tomar, liv. 268.

Arquivo Distrital de Castelo Branco, Cartório Notarial de Castelo Branco, mç. 3, liv. 42, fl. 87